21/03/2010

E o Oscar vai para... O Parafílico Senhor Poeta!


Com semblante de vilão de desenhos animados, e que se foi retratado os vilões desta forma, é porque deve ter sido feito uma análise dos perversos vilões, e chegado as característica, porque geralmente são magros, com ombros sempre tensos e curvos, eles aparecem, e com ar angelical eles envenenam as ingenuidades das ninfas, as ninfas essas que nem sempre são ingênuas quanto demonstram serem, com olhar de encantadoras serpentes, eles dominam e conseguem encantar suas presas. Um vilão que não se vê assim prefere o autoflagelo da alma, se acovarda por qualquer ruído, esse destemido mostra o que ele realmente é: covarde, aproveitador, na verdade é um diretor teatral e que sempre quer rever as mesmas cenas, porém o tempo passa e as pequeninas meninas se tornam mulheres, e só é permitida a atuação de meninas de preferência, as mais ingênuas e curiosas, daí as cenas continuam e novas meninas são selecionadas para atuar no palco do velho e de sua parafilia pedófila, assim se esbanjando de prazer sádico e masoquista! Para sua infelicidade, essas menininhas crescem e às vezes são bem crescidas, outras não, com aparência física de uma garotinha pequena, frágil, baixinha, cabelos longos, assim parecidas com fadinhas. Porém algumas com suas mentes já são bem maquiavélicas, passam de marionete para manipuladora, e o vilão passa a ser vítima do prazer venenoso que as tais meninas não demonstram ter, e temporariamente lhe aprisionam em seus caprichos de sedução assim dominando-o.

Por essa ilusória visão de que ele está sob controle, seu ser todo embaraçado, se auto punindo, por não ver como se sair do ato posto, de adiar a cena que está sempre com o mesmo roteiro e sempre atuado com uma nova coadjuvante. Acorde velho diretor! Seu tempo já passou e atriz nenhuma você mereceu! Porque pessoas covardes estão aqui pra sofrer, contente-se com sua penitência, esse pesar te acompanhará por toda eternidade, essa insatisfação sempre estará entranhado em sua carne, não tem saída enquanto você não for capaz de simplesmente ser o que quiser ser, não adianta acreditar nos pensamentos de um filósofo e defender suas teses e acabar se contradizendo no que você acredita, acho que nem acredita no que você mesmo diz. Há, há, ha... Nem você acredita, como pode alguém defender algo que não acredita? E que não consegue seguir no que crê?! É triste, mas acontece com muitos seres freqüentemente, é triste cada um perceber e reconhecer seus fracassos, você nem sabe o que quer, e porque tentar fazer com que alguém queira?

No meu roteiro você foi um figurante, teria uma vida amarga se estivesse ao seu lado, os covardes me causam vertigem, não sou nenhuma vestal, até porque vivo do jeito que sinto-me bem e que esse bem não seja mal a ninguém, me fizeram sofrer e aprendi e agradeço todo o sofrimento que vivi e desde já agradeço o sofrimento que viverei, porque só assim é que podemos perceber a realidade e evitar erros desnecessários nas cenas seguintes. É fato que há pessoas que se acham na capacidade até de ler pensamentos, mais que são incapazes de ler sentimentos, e de se dar a oportunidade de conhecer alguém com uma alma incandescente, e que há brasa ardendo em seu peito e tendo amor pra doar ou vender, pessoas que não conheceram ainda o verdadeiro significado de compreensão, caridade, simplicidade, necessidade, sinceridade e acima de tudo tratar todos os seres com igualdade, sabendo lhe dar com o amor e a maldade, há poucos no mundo que tenha a humildade de reconhecer seus defeitos, tentam viver apenas de qualidades, por isso Sr. autor, diretor e ator, é que seus espetáculos sempre irão a falência! Por falta de consciência e de distinção do que é ser, um ser consciente ou mesmo na imaginação, não misture contos de fadas com filmes eróticos, pois todos acabam trágicos por não ter a capacidades de trabalhar com suas companheiras de cena, as fadas ainda não descobriram o gozo feroz que há dentro do lobo pervertidamente feroz, e quando descobrem acabam percebendo, sentindo por si só e que você só foi mais um objeto e que esse objeto não vale a pena, e sempre buscam espetáculos com ânimo, a comédia é dos que elas gostam, nada de melodrama, porque com o tempo, o desprazer do melodrama deteriora na alma e uma comédia romântica as agrada, e você novamente é passado pra trás.

15 de março de 2010

Ana Cavalcante


Nenhum comentário: